Tag Archives: psiquiatria

Inscrições abertas para cursos de “Atualização em Saúde Mental”

Os doutores Fábio Barbirato (RJ), Lisieux Telles (RS) e Analice Gigliotti (RJ) ministram aulas, nos meses de maio e julho, sobre Infância e Adolescência, Psiquiatria Forense e Dependência Química dentro do curso “Atualização em Saúde Mental”. As atividades acontecerão sempre nas noites de sexta-feira, a partir das 19h, e nos turnos da manhã e tarde do sábado, às 08h, no auditório do Empresarial Alberte Einstein – na Ilha do Leite.

Podem participar das aulas todos os estudantes, residentes e profissionais de Saúde que atuam no cuidado com portadores de transtornos mentais. Exceto o módulo sobre Psiquiatria Forense. Este tem especificamente como público alvo os médicos.

Os cursos são independentes e o interessado pode se inscrever em um ou em todos eles, mas deve ficar atento às instruções das fichas de inscrição que são separadas. Clique aqui e faça o download de cada uma delas.

O primeiro a aportar no Recife é o Dr Fábio Barbirato, nos dias 05 e 06 de maio, para falar sobre Psiquiatria da Infância e Adolescência (por motivo de força maior, este primeiro módulo foi cancelado). Já a Dra Lisieux Telles (RS) traz a sua experiência sobre Psiquiatria Forense nos dias 19 e 20 de maio. Fecha a bateria de cursos a Dra Analice Gigliotti (RJ), nos dias 07 e 08 de julho, abordando um tema muito recorrente em nossa sociedade, a Dependência Química.

Todos os participantes receberão certificado com uma carga horário média de 10h/aula por curso.

Nova pesquisa para tratamento da Depressão chega a Pernambuco

Na última terça-feira (07), o blog Casa Saudável anunciou o início de uma nova pesquisa para o tratamento da Depressão em Pernambuco. O estudo busca voluntários entre os pacientes que tenham o tipo mais persistente da doença. Realizado no Hospital Universitário Oswaldo Cruz, o trabalho é coordenado, no Estado, pela psiquiatra e presidente da SPP, a Dra Kátia Petribú.

Confira, abaixo, o texto completo:

No Recife, pacientes com depressão são convidados a participar de pesquisa com tratamento inovador

Por Cinthya Leite – blog Casa Saudável

A Unidade de Pesquisa Clínica do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), ligada à Universidade de Pernambuco (UPE), recruta pacientes que convivam com depressão há, no mínimo, dois anos e que não tenham apresentado melhora do quadro após ter seguido tratamento com, pelo menos, dois antidepressivos.

Os pacientes participarão como voluntários de um estudo internacional do qual participam 15 centros no Brasil. No Huoc, a pesquisa é conduzida pela psiquiatra Kátia Petribú, professora da UPE e presidente da Sociedade Pernambucana de Psiquiatria. O estudo avalia um tratamento medicamentoso inovador para depressão. Pacientes interessados em participar da pesquisa devem entrar em contato pelo telefone: 81 99665-1404 (falar com Taciana).

Podem fazer parte do estudo pessoas que vivem com depressão maior, que se manifesta por uma combinação de sintomas que interferem na capacidade de trabalhar, estudar, dormir, alimentar-se e apreciar atividades anteriormente prazerosas. Esse episódio incapacitante de depressão pode ocorrer apenas uma vez, porém normalmente repete-se várias vezes na vida do indivíduo.

SAIBA MAIS

Num período qualquer de um ano, cerca de 10% da população apresentam um transtorno depressivo, cujo custo econômico é alto, mas o custo em termos de sofrimento humano não pode ser estimado. A depressão causa frequentemente dor e sofrimento, não apenas àqueles que o apresentam o transtorno, como também àqueles ao seu redor.

Muitas pessoas que têm depressão ainda não procuram tratamento (ou não seguem corretamente as orientações médicas), embora a maioria delas, até mesmo aquelas cuja depressão é extremamente grave, possa ser ajudada. Graças a anos de pesquisas, já existem medicações e terapias que aliviam a dor da depressão.

Sintomas

– Humor persistentemente triste, ansioso ou vazio
– Sentimentos de desespero, pessimismo
– Sentimentos de culpa, desvalia, impotência
– Perda do interesse ou prazer em atividades que eram anteriormente apreciadas, incluindo sexo
– Energia diminuída, fadiga, ficar “devagar”
– Dificuldade de se concentrar, recordar, tomar decisões
– Insônia, despertar precoce ou dormir demais
– Perda de apetite e/ou peso ou comer demais e ganho de peso
– Pensamentos de morte ou suicídio; tentativas de suicídio
– Inquietação, irritabilidade
– Sintomas físicos persistentes que não respondem ao tratamento, como cefaleias, transtornos digestivos e dores crônicas

Os benefícios do Mindfulness nos tratamentos psiquiátricos

O Jornal do Commercio, do último sábado (31), publicou uma matéria sobre o Mindfulness. Escrito pela repórter Cinthya Leite, o texto fala sobre técnicas de meditação e respiração para o controle da mente e das emoções. A Dra Kátia Petribú, presidente da SPP, foi consultada para falar sobre os benefícios do exercício para a saúde mental de seus praticantes.

Confira, abaixo, a matéria completa:

Mindfulness: Conheça técnicas de meditação e respiração para afastar o estresse e ter mais foco em 2017

Por Cinthya Leite – repórter do Jornal do Commercio

Numa época frenética, em que as pessoas desempenham multitarefas, concentrar-se no momento presente tem sido um caminho para tirar o pé do acelerador. A serenidade pode levar ao reencontro do equilíbrio físico e emocional essencial para domar as pressões do dia a dia e facilitar o alcance de metas – um desejo comum das pessoas na virada do ano. Nesse contexto, um conjunto de técnicas de meditação e respiração, batizado de mindfulness (ou atenção plena, na tradução para o português), desponta como alternativa para quem deseja quebrar o ciclo de ansiedade, estresse, infelicidade, irritabilidade e depressão, além de outros transtornos que desestabilizam a saúde.

“Mindfulness é um estado de atenção especial em que atendemos a experiências internas (sensações, pensamentos e sentimentos) e externas (sons, pessoas, situações, eventos e cheiros) com uma atitude de abertura, curiosidade e suavidade”, diz o psicólogo Vitor Friary, diretor do Centro de Mindfulness, no Rio de Janeiro. Referência no tema no País, ele tem compartilhado a prática da atenção plena com profissionais de todo o Brasil. Já ministrou curso no Recife, onde foram capacitadas mais de 40 pessoas, entre psicólogos e psiquiatras.

Praticante da meditação desde os 17 anos (hoje ele tem 34), Vitor ressalta que o mindfulness tem sido usado como parte de protocolos terapêuticos para ajudar pessoas com depressão e ansiedade, dores e doenças crônicas, como também aquelas que desejam abandonar tensões e melhorar a qualidade de vida.

“Quando praticamos o estado de mindfulness na meditação ou em situações do dia a dia, aumentamos a atividade de uma área cerebral conhecida como córtex pré-frontal, que é associada a processos de atenção, concentração, tomada de decisões e de perspectivas diante de situações difíceis”, explica Vitor. Ele complementa que práticas simples (prestar atenção nas sensações do corpo durante uma caminhada ou na respiração enquanto se senta) podem ajudar a estimular essas áreas do cérebro.

A psicóloga Luciana Gropo, integrante da Associação de Terapias Cognitivas do Estado de Pernambuco, destaca a atenção plena como um instrumento que proporciona melhora de foco e controle dos sentimentos. “A respiração é a âncora do mindfulness. Ao controlá-la, é possível diminuir a importância dada a emoções e compreender como enfrentá-las. Há quem não deseje ficar triste nem sentir raiva ou irritação. Mas todas as emoções são bem-vindas. Só é preciso experimentá-las num grau que não atrapalhem.”

Ela acrescenta que a prática de mindfulness também possibilita o enfrentamento de pensamentos ruins. “Com a meditação, a pessoa aprende que pode experimentar sofrimentos: eles chegam e vão embora.”

Atualmente a prática de mindfulness pode ser conhecida através da leitura de obras sobre tema e participação em cursos. Livros e CDs complementam a aprendizagem e não substituem o acompanhamento de um especialista no método. “A prática da atenção plena deve ser associada ao tratamento do paciente (seja medicamentoso ou psicoterapêutico). Estudos mostram que as técnicas podem reduzir a gravidade de sintomas da depressão e outros transtornos psiquiátricos, além de ativar a memória”, frisa a psiquiatra Kátia Petribú, presidente eleita da Sociedade Pernambucana de Psiquiatria e professora da Universidade de Pernambuco.

Para Kátia, é importante se pensar em caminhos que possibilitem a aplicação do mindfulness na rede de atenção básica à saúde e em espaços abertos, como praças e parques. “É preciso replicar a prática em grande escala, pois mindfulness proporciona mudança no estilo de vida de qualquer pessoa, independentemente da presença ou ausência de doenças”, destaca a psiquiatra.

Clique aqui e visite o blog Casa Saudável mantido pela jornalista Cinthya Leite.

Com apoio da UFPE, SPP prepara reestruturação da revista Neurobiologia

Com o assessor direto da Reitoria da UFPE, o professor Sílvio Romero, e o diretor da Editora Universitária, o professor Lourival Holanda, o Dr Everton Botelho – presidente da Sociedade Pernambucana de Psiquiatra – iniciou as conversas para a reestruturação da revista científica Neurobiologia. O objetivo é modernizar o acesso ao periódico que é um marco da Psiquiatria em Pernambuco por ser o primeiro na área da Neurociência.

A partir da conversa com a Reitoria e a Editora Universitária, três pontos foram elencados como chaves para o processo de reestruturação da Neurobiologia: 1 – atualizar até 2016 em números cumulativos; 2 – apresentar um projeto para edição online; 3 – outro projeto para digitalizar todos os números da revista desde a sua criação.

A Neurobiologia é um patrimônio da Psiquiatria Pernambucana, pois foi a primeira revista científica a tratar da Neuropsiquiatria. Fundada por Ulysses Pernambucano, em 1938, e nunca deixou de ser editada, mesmo durante a 2ª Guerra ou o período do Regime Militar.

Curso com foco nas Neurociências Clínicas inicia em abril

selo 2 pontos

O curso conta com o apoio institucional da ABP que pontua a atividade para a prova de Título de Especialista em Psiquiatria.

A Sociedade Pernambucana de Psiquiatria inicia, no mês de abril, o curso “Psiquiatria e Neurociências Clínicas”. Dividida em quatro módulos, a atualização é aberta a todos os profissionais de saúde que atuam no atendimento a portadores de transtornos mentais. O que inclui estudantes e residentes. As aulas acontecem sempre nas noites de sexta-feira e sábado, manhã e tarde, no Espaço Toyolex localizado na Avenida Rui Barbosa, nº 1105 – bairro das Graças.

Serão abordados assuntos referentes às Interconexões entre a Psiquiatria e a Psicologia Cognitiva (Módulo 1 – dias 29 e 30/04), às Bases Neurobiológicas da Prática Clínica (Módulo 2 – dias 06 e 07/05), às Síndromes Demenciais (Módulo 3 – dias 20 e 21/05) e às Interfaces entre a Psiquiatria e a Neurologia (Módulo 4 – dias 03 e 04/06). Para ministrar as aulas, foram convidados os professores Acioly Lacerda (Unifesp), Amaury Cantilino (UFPE), Antônio Peregrino (UPE), Everton Botelho (UFPE), Leonardo Machado (UFPE), Pompéia Villachan-Lyra (UFRPE), Silvia Laurentino (UFPE) e Suely Santa (Unicap).

Confira, abaixo, o valor das inscrições por categoria e período de adesão:

ACADÊMICOS (GRADUAÇÃO):
Até dia 31/03: R$ 150,00
A partir do dia 01/04: R$ 165,00

RESIDENTES:
Até dia 31/03: R$ 200,00
A partir do dia 01/04: R$ 220,00

ASSOCIADOS SPP/ABP QUITES:
Até dia 31/03: R$ 250,00
A partir do dia 01/04: R$ 275,00

OUTROS PROFISSIONAIS:
Até dia 31/03: R$ 350,00
A partir do dia 01/04: R$ 385,00

OBS.: Valores por módulo.

Faça o download da Ficha de Inscrição e da Programação completa. Não deixe de participar!

Ficha de Inscrição – Psiquiatria e Neurociências Clínicas

Programação – Psiquiatria e Neurociências Clínicas

SPP divulga calendário de atividades científicas para 2016

Visando a difusão do conhecimento, a troca de experiências e a maior interação com seus sócios, estudantes, residentes e profissionais de outras especialidades médicas, a Sociedade Pernambucana de Psiquiatria divulga o seu calendário de atividades científicas para 2016. O foco é a realização da XXXIII Jornada Pernambucana de Psiquiatria, entre os dias 18 e 20 de agosto, no Golden Tulip Recife Palace, em Boa Viagem. As demais atividades acontecem no Agreste e na Capital. Confira, abaixo, o cronograma e marque na agenda!

II SIMPÓSIO OS DESAFIOS DA ASSISTÊNCIA PSIQUIÁTRICA NO AGRESTE E SERTÃO
PERÍODO DE REALIZAÇÃO: 15 e 16 de abril de 2016

Motivada pelo positivo resultado do I Simpósio Os Desafios da Assistência Psiquiátrica no Agreste e Sertão, a Sociedade Pernambucana de Psiquiatria decidiu promover uma nova edição do evento. Desta vez, escolheu-se como sede o município de Garanhuns. Com conferências e mesas redondas, a expectativa é alcançar um público maior que o anterior, dada a boa recepção do evento prévio e a uma maior articulação e divulgação. Especial relevância deve ser dada ao fato de haver uma faculdade de medicina na cidade de Garanhuns e uma residência médica em Psiquiatria em Caruaru.

CURSO “PSIQUIATRIA E NEUROCIÊNCIA CLÍNICA”
PERÍODO DE REALIZAÇÃO: 29 de abril a 04 de junho de 2016

Curso que será realizado em quatro módulos com aulas sempre na sexta-feira à noite e, no sábado, manhã e tarde. As aulas abordarão temas ligados à interface entre a psiquiatria e as diversas áreas afins à neurociência, tais como a neuroanatomia, a neurofisiologia, a psicologia cognitiva e a neurologia, permitindo assim uma visão aplicada do que estas disciplinas têm a oferecer ao psiquiatra em seu conhecimento das funções mentais e a como transpor este para a sua prática clínica. A SPP deve contar com o apoio institucional da ABP para pontuar a atividade na prova de Título de Especialista em Psiquiatria.

XXXIII JORNADA PERNAMBUCANA DE PSIQUIATRIA
III ENCONTRO ESTADUAL DE MÉDICOS RESIDENTES EM PSIQUIATRIA
PERÍODO DE REALIZAÇÃO: 18 a 20 de agosto de 2016

Repetindo o êxito dos anos anteriores, a XXXIII Jornada Pernambucana de Psiquiatria e o III Encontro Estadual de Médicos Residentes em Psiquiatria serão realizados no Golden Tulip Recife Palace, em Boa Viagem. Voltado para profissionais, residentes e estudantes, o evento tem por objetivo maior contribuir com a formação e troca de experiências entre os participantes apresentando novas técnicas e tecnologias no tratamento dos transtornos mentais.

SETEMBRO AMARELO 2016
PERÍODO DE REALIZAÇÃO: 01 a 30 de setembro de 2016

As parcerias já construídas em 2015 continuam e outras serão firmadas para expandir as atividades realizadas no “Setembro Amarelo” de 2016. O objetivo é, sobretudo, chamar a maior atenção da sociedade para a epidemia silenciosa do suicídio e aproveitar o momento para minimizar o estigma que envolve os transtornos psiquiátricos.