Tag Archives: Jornada

Medalha Ulysses Pernambucano é entregue à Cristina Albuquerque

Com um discurso repleto de carinho, o Dr Antônio Peregrino fez a saudação à Dra Maria Cristina Cavalcanti de Albuquerque na outorga da Medalha Ulysses Pernambucano de Honra ao Mérito. A homenagem ocorreu na noite da última quinta-feira (10), durante a solenidade de abertura da XXXIV Jornada Pernambucana de Psiquiatria. A comenda é entregue aos psiquiatras que se destacaram no exercício e na defesa dos legítimos interesses da especialidade médica.

O Dr Antônio Peregrino, psiquiatra associado à Sociedade Pernambucana de Psiquiatria, foi aluno e é um grande amigo da Dra Maria Cristina Cavalcanti de Albuquerque. Por isso, ele foi convidado pela diretoria da SPP para fazer o discurso que apresentou a homenageada com a Medalha Ulysses Pernambucano de Honra ao Mérito edição 2017.

Em sua fala, o médico enalteceu não só o currículo profissional da ex-professora, mas também seus dotes literários e humanísticos. “A base para homenagem a um médico, deverá sempre estar lastreada no mérito. A história e o valor de uma medalha – como a que hoje será entregue – precisa sempre estar associada a uma biografia constituída por obra grandiosa e que, às vezes, o merecedor nem se dá conta que tem”, disse no início de sua fala.

Confira, abaixo, o texto completo da saudação:

“Outorga da Medalha Ulysses Pernambucano 2017 à Profª Dra. Maria Cristina Cavalcanti de Albuquerque

Discurso de Apresentação

Meus queridos amigos psiquiatras.

Fui convidado pela Diretoria da Sociedade Pernambucana de Psiquiatria para proferir algumas palavras nesta solenidade de abertura da XXXIV Jornada Pernambucana de Psiquiatria, especificamente na solenidade de outorga da Medalha Ulysses Pernambucano de 2017.

Nossas entidades médicas em geral e, particularmente, as entidades das diversas especialidades – como a nossa SPP – vêm distinguindo com medalhas ou diplomas, aqueles profissionais que se destacam em diversos campos de atuação médica com ética, competência, e valorização dos aspectos humanísticos em sua história de vida laboral.

Não são distinções de escolha democrática. E nem deve ser. A base para homenagem a um médico, deverá sempre estar lastreada no mérito. A história e o valor de uma medalha – como a que hoje será entregue – precisa sempre estar associada a uma biografia constituída por obra grandiosa e que, às vezes, o merecedor nem se dá conta que tem – que fez e que faz – na sua trajetória como médico. Em nosso caso, como psiquiatras.

É com esta compreensão que me cabe aqui a honra de apresentar em poucas linhas – como é possível?! – a médica-psiquiatra que hoje recebe a Medalha Ulysses Pernambucano, a comenda máxima da Sociedade Pernambucana de Psiquiatria.

Falo da Professora, Doutora, Maria Cristina Cavalcanti de Albuquerque.

É verdade que estarei discorrendo sobre uma pessoa por quem sou literalmente encantado – aliás já declarei isso em nosso grupo de discussão na mídia social (o grupo PsiquiatriasPE).

Uma grande amiga, minha professora de tantas coisas na vida acadêmica, na prática clínica, uma companheira que ainda hoje tenho na resolução, em conjunto, de situações médico-psiquiátricas de difícil manejo; aquela que me ensinou a manusear medicamentos mais “delicados” como os inibidores da monoaminoxidase com tanta maestria e tranquilidade. Enfim, falo de uma pessoa por quem sou apaixonado.

Mas, independente, do caráter afetivo, que poderia ser imaginado como fator de contaminação desta minha fala (uma espécie de viés de seleção para os epidemiologistas) eu devo apresentar alguns – observem que são apenas alguns – aspectos da história profissional de Cristina Albuquerque na Psiquiatria, e que atestam, firmemente o quão merecedora deste prêmio ela é.

Maria Cristina é uma caruaruense que, já no seu 3o ano médico, foi contemplada com bolsa de estudos na Universidade de Harvard para seminário a respeito de “Vida e instituições nos Estados Unidos da América” – uma primeira demonstração de seu interesse pelos aspectos humanísticos e sociais da medicina.

Mas, além disso, no mesmo ano, realizava estudos de bioquímica e de fisiologia (particularmente de neurofisiologia), numa confirmação de seu igual interesse pela base orgânica e personalíssima do ser humano.

Ainda acadêmica, Cristina, foi classificada em primeiro lugar no concurso para internos da Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco, trabalhando no Manicômio Judiciário do Estado, onde recebeu o prêmio Carlo Erba pelo trabalho “Inteligência, Psicopatia e Criminalidade”.

No ano de sua formatura, 1966, novamente foi agraciada com o mesmo prêmio com a pesquisa “Contribuição ao estudo das influências culturais sobre a criminalidade em psicopatas”.

Cristina se iniciou docente tão logo foi graduada. Foi professora no Instituto de Psicologia da Universidade Católica de Pernambuco; ensinou no Curso de Psicologia da Faculdade de Filosofia do Recife e, na Faculdade de Ciências Médicas (hoje pertencente à Universidade de Pernambuco), foi professora Assistente da Cadeira de Psiquiatria, sob a regência do Professor José Lucena.

Sua residência médica foi cursada em terras alienígenas: no St. Lawrence Community Mental Health Center e na Michigan State University, em Michigan, Estados Unidos, entre 1969 e 1971.

Tão logo retornou ao Brasil, em 1972, obteve o Título de Especialista em Psiquiatria pela Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Psiquiatria.

Em 1978, Cristina foi aprovada em primeiro lugar em concurso público para Professor no Departamento de Neuropsiquiatria da Universidade Federal de Pernambuco, onde concentrou as suas atividades de magistério.

Também foi médica psiquiatra do Instituto Nacional da Previdência Social (hoje Instituto Nacional de Seguridade Social, INSS) onde ocupou o cargo de Supervisora e, posteriormente, Auditora de Psiquiatria.

Todos nós, psiquiatras pernambucanos, conhecemos a batalha que Cristina sempre travou na busca por excelência no atendimento àqueles que precisavam dos serviços psiquiátricos conveniados com a previdência.

Por seu brilhante trabalho de supervisão e auditoria chegou a ser ameaçada de morte ao apontar irregularidades em algumas clínicas e hospitais psiquiátricos com internamentos pagos com verba pública. Mas não só denunciava coisas erradas. Apontava os erros e apresentava soluções, simples até, porém sempre baseadas no melhor dos mundos para uma psiquiatria de qualidade, no acolhimento humano ao doente e com esteio no conhecimento científico.

No campo da pesquisa, publicou inúmeros artigos científicos com temas tais como: saúde mental de universitários pernambucanos; correlação entre número de internações, diagnósticos e intervalo de tempo entre as internações psiquiátricas; reformulação de comunidade terapêutica em clínica psiquiátrica; psicoterapia hospitalar; reinserção social do paciente esquizofrênico; perfil do psiquiatria pernambucano (em 1972); aspectos psicossomáticos da obesidade; compreensão do trabalho terapêutico dos alcoólicos anônimos; visão crítica do tratamento das esquizofrenias (assim, com um “esse a mais”, em artigo de 1980); benzodiazepínicos: hoje e amanhã (apresentado e publicado em simpósio internacional sobre benzodiazepínicos em 1980); conduta de médicos residentes diante de aspectos psiquiátricos dos seus pacientes; a formação do psiquiatra; álcool, alcoolismo e alcoologia; estudos sobre a psicogênese.

Enfim, uma produção científica que constitui um passeio entre o orgânico e o social, psicológico e filosófico. Entre o físico e o metafísico. Entre a bioquímica e a neurofisiologia e entre a vida e as instituições, estudadas no seu terceiro ano médico. Uma prova de coerência mantida ao longo do tempo.

Em um dos seus artigos (de 1981), Cristina aponta para o fato de que saímos da faculdade médicos. Depois, encantados com a psiquiatria (na residência e na prática clinica na pós-formatura imediata) tornamo-nos psiquiatras. Só depois, um tempo depois, vamo-nos tornando médicos-psiquiatras. Ou seja, isso ocorre, no momento em que conseguimos juntar e tentar entender ao mesmo tempo o “bio”, o “psico” e o social. Isso, ela já o fazia muito antes de se formar.

Com sua formação biopsicossocial (ou organodinâmica na conceituação do grande tratadista e psiquiatra francês Enri Ey, na década de 1950), Cristina manteve um consultório privado ativo e de grande procura pela eficiência e resolutividade, ao longo de 50 anos de prática.

Em 2017, reduziu suas atividades de clínica particular, porém mantém-se ativa em participar das coisas da psiquiatria como em jornadas, congressos, encontros. Sempre interessada em aprender e em ensinar.

Maria Cristina foi vice-presidente da Sociedade Brasileira de Neurologia, Psiquiatria e Higiene Mental do Brasil; foi membro da Comissão de Residência Médica em Psiquiatria da Associação Brasileira de Psiquiatria; e faz parte do Conselho Editorial da Revista ABP/APAL (Revista da Associação Brasileira de Psiquiatria e da Associación Psiquiatrica de La America Latina).

Para além da Psiquiatria, Cristina Albuquerque é escritora. E escritora renomada. Tem uma obra literária reconhecida nacional e internacionalmente. Seus livros mesclam história e ficção com um especialíssimo estilo no qual a autora, personagens históricos reais e pessoas e situações imaginárias se misturam e levam o leitor a aprender sem o saber.

Ao ler seus livros, viramos também – como Cristina foi chamada pelo Professor Othon Bastos e, segundo ele, igualmente pelo Professor José Lucena – um “pai xambá… aquele que aprendeu sem se ensinar”.

Até o momento temos à disposição os títulos “O magnificat/Memórias de Isabel Cavalcanti” (de 1990); “Luz do Abismo” (1996); “Príncipe e Corsário” (2004); “Olhos Negros” (2009); “Matias” (2012); “O seminário” (2016); presentemente está concluindo novo romance (desta feita escrito em conjunto com o historiador português Hernani Maia) a ser lançado ainda em 2017.

Seus livros, Cristina, miscigenam você, seus personagens e seus leitores num fantástico, mirabolante, delicado e, o que é melhor, corretíssimo modo de compreender as coisas. Afinal de contas, como já dito, neles há um mistura do metafísico e da bioquímica, do orgânico, do real de todos nós.

Cistina é sócia – e já foi presidente – do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores (Sobrames) e da União Brasileira de Escritores (UBE).

Em 2005, foi agraciada com a Medalha Maciel Monteiro, o galardão máximo da Associação Médica de Pernambuco e hoje será agraciada com o maior galardão da Sociedade Pernambucana de Psiquiatria: a medalha Ulysses Pernambucano.

Quando conversei com ela sobre o fato e disse que estaria aqui com a fala de introdução, Cristina lembrou, de imediato, o grande poeta pernambucano João Cabral de Mello Neto quando foi comunicado que havia recebido a Medalha do Grande Mérito Guararapes, a maior comenda do Governo de Pernambuco.
Perguntou o poeta, de pronto:
– É de ouro?
Constrangido, o mensageiro respondeu-lhe que tal medalha era fundida em bronze.
Cabral insistiu:
– Tem de ouro?
Desesperado, o outro respondeu:
– Não! Ela é única. Fundida em bronze.
O poeta respirou aliviado:
– Neste caso, posso aceitar. Eu só uma pessoa cheia de defeitos. Um chato. Um cidadão de segunda classe. Mas meu trabalho é de ouro. Nele coloquei o melhor de mim mesmo. Tenho enorme respeito por ele. Para ele, eu só posso aceitar o ouro. Eu que o represento.

Há poucos dias, em rede social, Cristina foi parabenizada por colegas sobre a sobre a outorga da medalha pela SPP e respondeu exatamente como o poeta. Disse ela (palavras textuais): “eu sou uma pessoa chata, crítica, solitária, coronariana, hipertensa e meio arrogante. Mas meu trabalho é muito bom. É a ele que dedico o ouro do mérito Ulisses Pernambucano. Comovida e obrigada”.

Essas não são palavras que pudessem ser ditas por uma plebeia.
Esse nunca seria um texto que pudéssemos ouvir de uma princesa (dizer-se chata, crítica, meio arrogante, solitária?).
Essas são palavras que constituem uma verdade interior, encerram firmeza e força, poderiam se inserir na melodia de um hino muito pessoal, e só pode ser proferida, meus amigos, pelos lábios de uma rainha.

Uma rainha que Cristina bem sabe que é e nós, seus amigos, é que não sabemos como ela aprendeu a sê-lo. Da mesma maneira como o caso do mestre Xambá… aquele que aprendeu sem se ensinar.

E com isto dito, eu convido neste momento, com o meu – o nosso – melhor aplauso a Doutora Maria Cristina Cavalcanti de Albuquerque – para vir receber a Medalha Ulysses Pernambucano de 2017, a maior homenagem, Cristina, não só da Diretoria da SPP que nos representa, mas de todos os seus pares da grande sociedade pernambucana de psiquiatria.

Eu não sei nem de que material a medalha é feita, mas representa muito mais do que ouro; tanto para sua obra como para você como pessoa!

Parabéns, Cristina e que tudo isto se registre nos anais da XXXIV Jornada Pernambucana de Psiquiatria e em ata da Sociedade Pernambucana de Psiquiatria, em Recife, 10 de agosto de 2017.”

Petrolina recebe Jornada de Psiquiatria do Vale do São Francisco

LOGO FADEF

O evento foi selecionado e terá patrocínio do Fundo de Apoio ao Desenvolvimento das Federadas e Núcleos Associativos (FADEF-ABP).

Nos dias 09 e 10 de junho, Petrolina recebe o III Simpósio Os Desafios da Assistência Psiquiátrica no Agreste e Sertão (Jornada de Psiquiatria do Vale do São Francisco). O evento é fruto da união entre a Sociedade Pernambucana de Psiquiatria e a Associação Psiquiátrica da Bahia. As palestras e conferências acontecem na noite da sexta-feira e manhã e tarde do sábado. Haverá exposição de pôsteres.

Pelo terceiro ano consecutivo, a SPP realiza o Simpósio Os Desafios da Assistência Psiquiátrica no Agreste e Sertão. Depois de Caruaru (2015) e Garanhuns (2016), chega a vez de Petrolina, na região do Vale do São Francisco. O município foi escolhido, a partir da parceria com a APB, pelo número de instituições de ensino superior que têm se estabelecido na cidade, além da sua importância cultural e econômica.

Pela primeira vez, o Simpósio contará com uma exposição de pôsteres. Serão selecionados 20 trabalhos e os resumos devem ser enviados até o dia 10 de maio. Confira aqui como participar do evento e inscrever seu pôster, além da programação completa do encontro que conta pontos (2) para a prova de Título de Especialista em Psiquiatria da ABP.

Participam de palestras e mesas redondas os doutores André Brasil (Salvador), Antônio Plauto (Petrolina), Denise Stefan (Salvador), Fredrick Lapa Filho (Recife), Gerson Saboia (Petrolina), Godson Teixeira (Juazeiro), Kátia Petribú (Recife), Luciana Paes de Barros (Recife), Miriam Gorender (Salvador), Neyryanne Araújo (Juazeiro) e Sandra Peu (Salvador).

O III Simpósio Os Desafios da Assistência Psiquiátrica no Agreste e Sertão (Jornada de Psiquiatria do Vale do São Francisco) acontece no auditório da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina localizada no Campus Universitário, S/N – Vila Eduardo (Petrolina /PE).

Inscrições abertas para XXXIII Jornada Pernambucana de Psiquiatria

Com o tema “A Psiquiatria em Tempos de Crise”, a Jornada Pernambucana de Psiquiatria chega a sua 33ª edição. O objetivo é discutir não só as tentativas de sucateamento da especialidade, mas também como a atual crise política e financeira do país afeta a atuação dos profissionais da área. O evento acontece nos dias 18, 19 e 20 de agosto, no Golden Tulip Recife Palace, em Boa Viagem – Recife, e conta pontos (5) para a prova de Título de Especialista em Psiquiatra realizada pela ABP.

Podem participar da XXXIII Jornada Pernambucana de Psiquiatria estudantes, residentes e profissionais da área de Saúde interessados nos assuntos abordados nas mesas redondas, painéis e conferências que permeiam a programação do encontro (abaixo, a grade completa). Também estão abertas as inscrições para exposição de pôsteres. O resumo dos trabalhos deve ser submetido à Comissão Científica até o dia 15 de julho e o resultado será divulgado até o dia 10 de agosto. Vinte trabalhos serão selecionados.

A manhã e tarde da quinta-feira (18/08) será dedicada ao III Encontro Estadual de Médicos Residentes em Psiquiatria que, no ano passado, alcançou um público quase 50% que a primeira edição do evento. Já a sexta e sábado, serão tomados pela programação da XXXIII Jornada Pernambucana de Psiquiatria.

Já estão confirmados os seguintes palestrantes: Amaury Cantilino (PE), Antônio Peregrino (PE), Bruno Marcello (PE), Daniel Marques (PE), Douglas Sucar (RN), Elisa Brietzke (SP), Emmanuel Fortes (AL), Gustavo Paranhos (PE), Josany Alves (PE), José Alberto Del Porto (SP), José Waldo Câmara (PE), Kalil Duailibi (SP), Kátia Petribú (PE), Leonardo Machado (PE), Marcelino Bandim (PE), Rodrigo Machado (PE), Romildo Bueno (RJ), Rosa Magali (SP), Suely Santana (PE), Táki Cordás (SP) e Tiago Queiroz (PE).

O valor das inscrições é o mesmo dos últimos dois anos. Não houve aumento. Porém, varia de acordo com a categoria e o período em que for realizada. Então, fique atento e não perca tempo!

OBS 1: Aqueles que se inscreverem nas categorias “Estudante” e “Residente”, além da Ficha de Inscrição preenchida e do comprovante de depósito, devem enviar também uma cópia da Carteira de Estudante ou de algum outro documento que comprove o vínculo com a instituição de ensino.

OBS 2: Sócios da SPP/ABP devem apresentar também uma cópia da Carteira de Sócio da ABP para receber o desconto conferido à categoria.

Confira, abaixo, as fichas de inscrição e a programação completa do encontro:

Ficha de Inscrição – XXXIII Jornada Pernambucana de Psiquiatria

Ficha de Inscrição – Pôsteres

Programação – XXXIII Jornada Pernambucana de Psiquiatria

SPP ABRE INSCRIÇÕES PARA A XXXII JORNADA PERNAMBUCANA DE PSIQUIATRIA

LOGO FADEF

A XXXII Jornada Pernambucana de Psiquiatria tem apoio do Fundo de Apoio ao Desenvolvimento das Federadas e Núcleos Associativos da ABP – FADEF/ABP.

A Sociedade Pernambucana de Psiquiatria está com inscrições abertas para a sua XXXII Jornada Pernambucana de Psiquiatria. Repetindo o sucesso de 2014, este ano, o evento acontece novamente no Golden Tulip Recife Palace, em Boa Viagem, e recebe mais uma vez o Encontro Estadual de Médicos Residentes em Psiquiatria em sua segunda edição. As atividades acontecem nos dias 27, 28 e 29 de agosto.

Com o tema “Os Caminhos da Psiquiatria”, a XXXII Jornada Pernambucana de Psiquiatria é aberta a todos os estudantes, residentes, psiquiatras sócios e não sócios da ABP e outros profissionais de Saúde interessados nos temas que serão debatidos.

A novidade, este ano, é o espaço para a exposição de pôsteres. Os resumos dos trabalhos podem ser enviados até o dia 15 de julho quando passarão pela avaliação de uma Comissão Científica. O resultado dos aprovados será divulgado até o dia 15 de agosto e 20 trabalhos serão selecionados. Confiram as regras de participação na Ficha de Inscrição – Pôsteres, abaixo.

Se inscrever e participar da XXXII Jornada Pernambucana de Psiquiatria é fácil. Faça o download da Ficha de Inscrição e preencha todos os campos. Especialmente, o número de sócio da ABP, se você for filiado à entidade. Depois de tudo preenchido, envie a Ficha de Inscrição com uma cópia do comprovante de depósito referente ao valor da inscrição para o e-mail sociedadedepsiquiatria.jornada@gmail.com. Você receberá um e-mail confirmando a sua inscrição.

O valor da inscrição varia de acordo com a categoria escolhida (Estudante, Residente, Sócio quite com a ABP e Outros Profissionais) e o período do inscrição.

OBS.: Aqueles que se inscreverem nas categorias “Estudante” e “Residente”, além da Ficha de Inscrição preenchida e do comprovante de depósito, devem enviar também uma cópia da Carteira de Estudante ou de algum outro documento que comprove o vínculo com a instituição de ensino.

Estão confirmados, como palestrantes da XXXII Jornada Pernambucana de Psiquiatria, os seguintes nomes: Alexandrina Meleiro (SP), Amaury Cantilino (PE), Antônio Peregrino (PE), Bruno Nascimento (PE), Daniel Kitner (PE), Douglas Sucar (RN), Everton Sougey (PE), Fábio Matos (CE), Frederick Lapa Filho (PE), José Waldo Câmara (PE), Kátia Petribu (PE), Luiz Carlos Albuquerque (PE), Magdala Novaes (PE), Pedro Prado Lima (RS), Romildo Bueno (RJ), Silvia Laurentino (PE), Táki Cordás (SP), Tiago Durães (PE) e Wagner Gattaz (SP).

Veja a programação completa e outros detalhes nos links abaixo:

Ficha de Inscrição – XXXII Jornada Pernambucana de Psiquiatria

Programação – XXXII Jornada Pernambucana de Psiquiatria

Ficha de Inscrição – Pôsteres

Os Desafios da Prática Clínica são tema da XXXI Jornada Pernambucana de Psiquiatria

CAPA-SITE-02

Este ano, a Jornada recebe o I Encontro Pernambucano de Médicos Residentes em Psiquiatria e o psiquiatra português Carlos Braz Saraiva. – Arte: Daniel Vilarouca.

É com muito orgulho que a Sociedade Pernambucana de Psiquiatria chega a sua XXXI Jornada. Este ano, o evento volta para o Recife e será realizado no Golden Tulip Recife Palace, em Boa Viagem, entre os dias 14 e 16 de agosto. Nas últimas edições, a Jornada Pernambucana de Psiquiatria tem se consolidado como o maior encontro de profissionais da área em Pernambuco, atraindo, inclusive, a atenção de psiquiatras de estados vizinhos como Paraíba, Sergipe e até Rio Grande do Norte.

A programação já está fechada e a participação de palestrantes de diversos estados está se confirmando. Destaque para participação do psiquiatra português Carlos Braz Saraiva e sua conferência de abertura “Van Gogh e Picasso: morrer por fora e morrer por dentro”, na noite da quinta-feira (14/08). Outros temas abordados em conferências e mesas redondas são: Políticas de Saúde Mental, Internet e Psiquiatria, Esquizofrenia, Dependência Química, Espectro Autista, Efetividade Terapêutica em Depressões e muito outros.

No primeiro dia da XXXI Jornada Pernambucana de Psiquiatria, nos períodos da manhã e tarde, acontece também o I Encontro Pernambucano de Médicos Residentes em Psiquiatria. Uma ótima oportunidade para os profissionais em formação na área trocarem experiências e informações sobre os casos clínicos encontrados no dia a dia das residências dos hospitais das Clínicas, Ulisses Pernambucano, IMIP e PCR. As mesas redondas serão coordenadas por seus preceptores.

Para participar, basta fazer o download da Ficha de Inscrição através do link abaixo. Nela você tem todas as informações necessárias para efetuar sua inscrição, como valor e conta para depósito. Confira também a programação, ela já está disponível no link seguinte:

Ficha de Inscrição – XXXI Jornada Pernambucana de Psiquiatria

Programação – XXXI Jornada Pernambucana de Psiquiatria

Portanto, agende-se e participe!
Dúvidas e outras informações basta telefonar para 3231-0767 ou 9907-4013. Se desejar, pode escrever para o e-mail sociedadedepsiquiatria.jornada@gmail.com Siga-nos também no Facebook (sociedadepernambucanadepsiquiatria).

SPP faz balanço das ações desenvolvidas nos três últimos anos

BALANÇO-DIRETORIA

Entre os anos de 2011 e 2013, foi criada a Medalha de Honra ao Mérito Ulysses Pernambucano que agraciou o Professor Othon Bastos e a Dra Jane Lemos. – Foto: Jan Ribeiro

Prestes a realizar eleições para a escolha de uma nova diretoria, a Sociedade Pernambucana de Psiquiatria faz um balanço de suas ações nos três últimos anos. Sob a presidência do Dr Marco Antônio de Souza Leão, a Sociedade promoveu, nesse período, elogiados cursos e jornadas. Destaque para a criação da Medalha Ulysses Pernambucano de Honra ao Mérito que agraciou, em 2011 e 2013, os psiquiatras Othon Bastos e Jane Lemos, respectivamente.

Formada por profissionais dos setores público e privado, a atual diretoria da SPP trabalhou, no último triênio, focada em fortalecer a capacitação de seus associados. Todas as atividades promovidas buscaram aproximar estudantes e profissionais trazendo à tona temas atuais e pertinentes à clínica psiquiátrica. Estiveram à frente deste trabalho os doutores Marco Antônio de Souza Leão, Suzana Azoubel, José Waldo Câmara, Hugo Couto, Gustavo Paranhos e Paulo Pinto.

Confira, abaixo, os principais eventos oferecidos pela SPP entre os anos de 2011 e 2013:

CURSOS
Professores locais e de outros estados foram convidados a apresentar suas pesquisas mais recentes em temas como transtornos do sono, psicofármacos na gravidez e lactação, clínica médica e neurologia. Compuseram a programação desses cursos nomes como Alexandre Azevedo, Amaury Cantilino, Fabiano Gomes e Gutemberg Guerra.

Ao fim de cada um desses encontros, os participantes saiam entusiasmados com as atualizações e quantidade de informações recebidas. Mais recentemente, ainda foi realizado o simpósio “Convergências na clínica Psiquiátrica e Psicológica: Perspectivas Atuais”. Um dia inteiro de palestras em que psiquiatras e psicólogos puderam interagir e trocar experiências.

LUZ PARA A PSIQUIATRIA
Numa parceria com o projeto Aria Social, a Sociedade Pernambucana de Psiquiatria realizou o Luz para a Psiquiatria, um evento cultural e filantrópico que trouxe o espetáculo musical “Lua Cambará” para o palco do Teatro de Santa Isabel. Todo o dinheiro arrecadado com a venda dos ingressos foi destinado a dois centros formadores do nosso estado: a enfermaria psiquiátrica do Hospital das Clínicas e o Centro de Estudos do Hospital Ulisses Pernambucano. Antes do espetáculo, o Dr Wagner Gattaz trouxe sua experiência à frente do Instituto de Psiquiatria da USP.

JORNADAS
Realizadas em cidades do litoral e do interior de Pernambuco, a Jornada Pernambucana de Psiquiatria, nos três últimos anos, conseguiu atrair um grande número de profissionais. Participaram do evento maior da psiquiatria pernambucana, além dos associados à SPP, coordenadores de CAPS, enfermeiros, terapeutas e outros trabalhadores ligados à saúde mental.

Em 2011, a XXVIII Jornada Pernambucana de Psiquiatria foi realizada em Porto de Galinhas e teve a participação de nomes de peso como o da psiquiatra forense Hilda Morana. No ano de 2012, a XXIX Jornada apresentou o tema “Controvérsias em Psiquiatria”. Realizado no município de Gravatá, o evento foi aberto por Valentim Gentil Filho que trouxa a palestra “Finalmente, uma psiquiatria sem adjetivos”.

Em 2013, a XXX Jornada Pernambucana de Psiquiatria recebeu dois eventos paralelos que engrandeceram ainda mais o encontro promovido pela SPP: a XVI Jornada Nordestina de Psiquiatria e o IV Simpósio Brasileiro de Saúde Mental da Mulher. As Jornadas e Simpósio receberam o apoio e a presença da diretoria da Associação Brasileira de Psiquiatria.

MEDALHA
Criada para homenagear psiquiatras que se destacaram no exercício da profissão, nos estudos e na defesa dos interesses da categoria, a Medalha Ulysses Pernambucano de Honra ao Mérito já foi concedida aos doutores Othon Bastos e Jane Lemos, nos anos de 2011 e 2013, respectivamente. O primeiro é decano da psiquiatria pernambucana e formador de diversas gerações de profissionais da área. Já a doutora Jane Lemos é ex-presidente da SPP e atua fortemente em entidades, como a AMPE e o Cremepe, que defendem a saúde em Pernambuco.

SPP inicia inscrições para jornadas Nordestina e Pernambucana de Psiquiatria

Capa-facebook

Eventos dividem programação e, paralelamente, acontece a ainda o IV Simpósio Brasileiro de Saúde Mental da Mulher. – Arte: Higor Cayo

Nos dias 16, 17 e 18 de agosto, será realizada a XVI Jornada Nordestina de Psiquiatria que, este ano, acontece paralelamente a XXX Jornada de Psiquiatria e o IV Simpósio Brasileiro de Saúde Mental da Mulher (este somente no sábado, 17). Três eventos que, juntos, prometem ser uma importante troca de experiências entre psiquiatras de todo o Brasil.

Com o tema “Psiquiatria: Atualidades e Perspectivas”, as Jornadas e Simpósio serão realizados no Enotel Resort, em Porto de Galinhas – Ipojuca, e ratificam o compromisso da Sociedade Pernambucana de Psiquiatria em promover a qualificação e capacitação de seus associados.

Durante o encontro, serão discutidos temas como Transtornos de Personalidade no DSM-V, Internamento Involuntário, Transtorno Bipolar do Humor, Tentativa de Suicídio, Fechamento dos HCTPs, Gravidez e Puerpério, Transtornos do Humor na Menopausa, Epigenética e Saúde Mental da Mulher, entre outros assuntos.

Entre os nomes já confirmados para debater estes temas estão os de Amaury Cantilino (PE), André Ferrer de Carvalho (CE), Ângela Scippa (BA), Antônio Peregrino (PE), Antônio Geraldo da Silva (DF – Presidente da ABP), Carla Zambaldi (PE), Emmanuel Fortes (AL), Everton Sougey (PE), Hewdy Lobo (SP), Hirtys Cavalcanti (AL), Humberto Correa (MG), Jerônimo Ribeiro (RS), Joel Rennó- Jr (SP), Juliana Pires Cavalsan (SP), Kátia Petribú (PE), Lucas Quarantini (BA), Luiz Carlos Coronel (RS), Othon Bastos (PE), Paula Borba (RN), Renan Rocha (SC), Renata Demarque (SP), Rudá Alessi (SP) e Tiago Queiroz (PE).

INSCRIÇÃO – Preencha todos os seus dados na Ficha de Inscrição (abaixo) e envie, juntamente a uma cópia do comprovante de depósito, para consrp@hotmail.com Se houver dificuldades em enviar o material por e-mail, eles poder ser encaminhados por fax para a SPP (81 – 3231.0767). Não se esqueça de identificar o comprovante de depósito. Após este processo, a pessoa inscrita receberá uma mensagem confirmando a sua participação.

OBS.: O ENVIO ANTECIPADO DA FICHA DE INSCRIÇÃO SEM O COMPROVANTE DE DEPÓSITO NÃO GARANTE VAGA NA JORNADA E SIMPÓSIO.

Ficha de Inscrição – XVI Jornada Nordestina de Psiquiatria

Programação – XVI Jornada Nordestina de Psiquiatria

O depósito bancário pode ser realizado na seguinte conta:

Banco 033 – BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A.
Agência: 4309 – Recife / Ilha do Leite
Conta + DV: 00000130002594
CNPJ: 08733032/0001-08
Favorecido: SOCIEDADE PERNAMBUCANA DE PSIQUIATRIA

ATENÇÃO! Este ano, por conta da XVI Jornada Nordestina de Psiquiatria e do IV Simpósio Brasileiro de Saúde Mental da Mulher, a SPP não fará a promoção em que paga uma das duas diárias para os sócios quites com a sua anuidade. Entretanto, os sócios que estão em dia com a sua anuidade pagam preços diferenciados (veja tabela de inscrições).

Pacotes com hospedagem, passagens aéreas e transporte podem ser adquiridos com a Martur Viagens e Turismo (81 – 3213.1404 / eventos@martur.com.br). A ideia de deixar este processo a cargo de uma agência de turismo é para que os participantes, de Pernambuco e outros estados, fiquem mais a vontade na hora de escolher um local onde se hospedar. A Martur tem convênio com o Enotel Resort e demais hotéis em Porto de Galinhas, todos próximos de onde ocorrerá a XXX Jornada Pernambucana de Psiquiatria.

Dúvidas ou outras informações de como participar da XXX Jornada Pernambucana de Psiquiatria basta telefonar para os números 3231.0767 ou 9907.4013. Ou entrar em contato pelo e-mail sociedadedepsiquiatria@gmail.com Siga-nos também pelas redes sociais: Facebook (facebook.com/sociedadepernambucanadepsiquiatria) e Twitter (@psiquiatriape).

Serviço:
XXX Jornada Pernambucana de Psiquiatria
XVI Jornada Nordestina de Psiquiatria
IV Simpósio Brasileiro de Saúde Mental da Mulher
De 16 a 18 de agosto
Enotel Resort – Porto de Galinhas / Ipojuca

MANTENHA SUA ANUIDADE EM DIA E GANHE DESCONTOS E VANTAGENS EM NOSSOS EVENTOS!

XXIX Jornada supera expectativa dos organizadores

29ª-JPP-71

Encontro contou com expressiva participação dos sócios da SPP e psiquiatras de estados vizinhos. – Foto: Jan Ribeiro.

Realizada entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro, a XXIX Jornada Pernambucana de Psiquiatria superou as expectativas dos seus organizadores. Com 115 inscritos, o evento contou com a presença de importantes nomes da Psiquiatria local e nacional para discutir assuntos como Depressão Resistente, TOC e Comorbidades e a Assistência Psiquiática no Brasil. Com o tema “Controvérsias em Psiquiatria”, o encontro aconteceu no Resort Villa Hípica, em Gravatá.

“Este ano, nós ousamos ao sair do litoral e ir em direção ao interior, o que possibilitou uma maior adesão de médicos de outros municípios fora da Região Metropolitana. Além disso, consolidamos o nível da programação científica e ampliamos a programação cultural, o que parece ter sido muito bem recebido por todos”, comentou Marco Antônio de Souza Leão, presidente da Sociedade Pernambucana de Psiquiatria, entidade que promove a Jornada.

A conferência de abertura foi proferida por Valentim Gentil Filho, referência nacional em pesquisas sobre saúde mental. Com o tema “Finalmente, uma Psiquiatria sem adjetivos”, sua apresentação passeou pela história desta especialidade médica, seus métodos e a necessidade de quebrar barreiras para que a população tenha acesso às formas adequadas de tratamento.

“Ao longo da história, a Psiquiatria esbarrou em vários adjetivos que tentaram individualiza-la. Ou seja, distancia-la da sociedade, criando até alguns preconceitos. Quando o que precisamos, na verdade, é ver a Psiquiatria como uma ciência que tem muito a contribuir com o bem estar social”, disse Valentim Gentil Filho durante sua conferência. No sábado, ele ainda participou da mesa redonda “Nosologia Psiquiátrica Contemporânea: Limites e limitações” ao lado de Everton Botelho e Alírio Dantas.

Outro nome na XXIX Jornada Pernambucana de Psiquiatria foi o de Alfredo Minervino. Representante da Associação Brasileira de Psiquiatria, ele participou de um acalorado debate sobre “Assistência Psiquiátrica no Brasil: situação atual e alternativas”.

“A ABP nunca foi procurada pelo Poder Público para discutir a criação de políticas públicas de saúde mental. Nós estamos abertos ao diálogo e tenho certeza que a SPP também. Afinal, é uma de nossas diretrizes buscar uma melhor qualidade de vida para pacientes com transtornos mentais”, destacou Minervino.

Nos três dias do evento, o auditório do Resort Villa Hípica esteve lotado durante as conferências e mesas redondas realizadas. Profissionais e estudantes interessados em conferir os trabalhos apresentados por Leonardo Machado, João Alberto Carvalho, Eduardo Pondé, José Waldo Câmara, Kátia Petribú, Amaury Cantilino, Suzana Azoubel, Gilvandro Lira, Bruno Marcelo, Antônio Peregrino e Fábio Matos.

PROGRAMAÇÃO CULTURAL – a Jornada Pernambucana de Psiquiatria é também um momento de confraternização entre os profissionais da categoria e de outras especialidades médicas. Por isso, durante o encontro deste ano, as noites da sexta e do sábado foram reservadas à programação cultural.

Na sexta, a MPB tomou conta do ambiente enquanto os doutores Marcos Padilha, Luiz Carlos Albuquerque e Maria Cristina Cavalcanti lançavam seus livros “Os Carnaúba”, “As aventuras do Urubill” e “Matias”, respectivamente. No sábado, foi a vez do forró esquentar a noite fria de Gravatá.

Um ponto que atraiu muito a atenção dos participantes da XXIX Jornada Pernambucana de Psiquiatria foi a exibição dos curtas metragens “Não me deixe em casa”, do cineasta Daniel Aragão e “Mens sana in corpore sano”, de Juliano Dornelles. Cada um desses filmes têm, no pano de fundo, temas muito caros à Psiquiatria como o exibicionismo na internet, as relações familiares e o transtorno dismórfico corporal.

“O saldo da Jornada, este ano, foi bastante positivo. Todos falaram muito bem da programação e a interação entre palestrantes e inscritos foi intensa. Acho que isso nos credencia a ter um público cada vez maior nestes eventos”, disse o presidente da SPP.

A XXIX Jornada Pernambucana de Psiquiatria contou com o patrocínio dos laboratórios Novartis, Sandoz, Shire, Torrent, Actelion e Servier. Além de todos os profissionais que se inscreveram para participar do encontro.

XXIX Jornada Pernambucana de Psiquiatria

banner_home_xxix-jornada-psiquiatria-468x219A Sociedade Pernambucana de Psiquiatria (SPP) promove, entre os dias 31 de agosto e 02 de setembro, a sua XXIX Jornada Pernambucana de Psiquiatria. Com o tema “Controvérsias em Psiquiatria”, o evento pretende discutir a subjetividade no diagnóstico psiquiátrico e a sua credibilidade ante a sociedade. Para isso, traz especialistas de Pernambuco e de outros estados que palestram sobre Transtorno Bipolar, Depressão Resistente, Transtorno Obsessivo Compulsivo e outros temas.

A XXIX Jornada Pernambucana de Psiquiatria nem começou e já é um sucesso, pois passa de 100 o número de inscritos e ainda há espaço para novos participantes. Pela primeira vez, o evento deixa o litoral e segue em direção ao interior do estado, o que permitiu uma maior adesão de médicos e demais profissionais de outros municípios pernambucanos.

“Tivemos uma programação científica elogiadíssima, no ano passado. O que também nos credenciou a ter um maior número de participantes este ano. Por isso, tivemos muito esmero ao elaborar esta nova programação para mantermos o mesmo nível nos debates, além de capacitar e atualizar os nossos colegas que é a principal missão da Sociedade Pernambucana de Psiquiatria”, comenta o presidente da SPP, o dr. Marco Antônio de Souza Leão.

Entre os assuntos que serão discutidos durante a Jornada está a questão da assistência psiquiátrica no Brasil. A ideia é analisar a atual situação do tratamento psiquiátrico e fomentar o debate sobre a criação de políticas públicas relacionadas à saúde mental, além de buscar sugestões para um melhor atendimento psiquiátrico em Pernambuco, principalmente na rede pública de saúde.

Participam do evento nomes como Antônio Peregrino (PE), Kátia Petribú (PE), Eduardo Pondé (BA), Alfredo Minervino (PA) e Valentim Gentil Filho (SP).

PROGRAMAÇÃO CULTURAL – a Jornada Pernambucana de Psiquiatria é também um momento de confraternização entre psiquiatras e profissionais de outras áreas. É o instante em que se discute a psiquiatria à luz de outras vertentes, como as artes.

Este ano, três psiquiatras lançam livro durante o encontro. Maris Cristina Cavalcanti de Albuquerque traz seu “Matias”, Marcos Padilha de Freitas chega com “Os Carnaúba” e Luiz Carlos de Albuquerque autografa “O uru Bill”. Dentro da programação, ainda serão exibidos dois curtas metragens: “Não me deixe em casa”, de Daniel Aragão e “Mens sana in corpore sano”, de Juliano Dornelles.

A XXIX Jornada Pernambucana de Psiquiatria acontece de 31 de agosto a 02 de setembro, no Resort Villa Hípica, em Gravatá. A programação começa às 14h30, da sexta-feira, com a apresentação de casos clínicos e encerra no domingo, ao meio dia. Para participar, basta enviar um e-mail para sociedadedepsiquiatria@gmail.com ou telefonar para 9907.4013.

Serviço:
XXIX Jornada Pernambucana de Psiquiatria
De 31 de agosto a 02 de setembro
Resort Villa Hípica – Gravatá

Psiquiatras realizam encontro para discutir alternativas na promoção da Saúde Mental

Nos próximos dias 20 e 21 de agosto, será realizada a 28ª Jornada Pernambucana de Psiquiatria. Com o tema “Desafios do Cotidiano”, o evento pretende discutir assuntos relacionados à saúde mental que estão em evidência na sociedade, apresentando para estudantes e profissionais alternativas no tratamento de patologias como o transtorno do humor e a dependência química. A atividade é promovida pela Sociedade Pernambucana de Psiquiatria (SPP) e acontece em Porto de Galinhas.

Empossada no primeiro semestre deste ano, a nova diretoria da SPP assume com o propósito de contribuir na elucidação de temas ligados à saúde mental que têm se apresentado como desafios à sociedade. “Com a promoção de curso, palestras e debates, queremos ajudar na capacitação de psiquiatras e de outros profissionais da saúde, além de facilitar o entendimento da população acerca de algumas patologias”, afirma o presidente da Sociedade, o Dr. Marco Antônio de Souza Leão.

Neste sentido, a SPP se prepara para o evento mais importante do seu calendário, a Jornada Pernambucana de Psiquiatria. Em sua 28ª edição, a Jornada trará especialistas de Pernambuco e de outros estados, como Kátia Petribú (PE) e Clarissa Gama (RS), para apresentar, entre outros assuntos, estudos sobre o transtorno obsessivo compulsivo (TOC) e os transtornos de humor.

A Jornada inicia às 8h do sábado (20) com uma mesa redonda sobre Psiquiatria Forense. Recentemente, o tema dominou as páginas dos jornais quando uma promotora de Justiça simulou um distúrbio mental para atrapalhar as investigações sobre o seu suposto envolvimento em um caso de corrupção. Para discutir o tema, José Waldo Filho (PE), Jane Lemos (PE) e Hilda Morana (SP) falam da simulação na perícia previdenciária, as práticas assistenciais e periciais e os transtornos de personalidade, psicopatia e serial killers.

O drama da dependência química também será discutido durante a 28ª Jornada Pernambucana de Psiquiatria. No domingo (21), com a participação de Esdras Cabus (BA), Carlos Gustavo (PE) e George Hamilton (BA), uma mesa redonda apresenta novas informações sobre os efeitos do crack e os seus reflexos na sociedade. Uma avaliação clínica, através de estudos de caso, e o crack como questão de saúde pública estão na pauta.

Já se inscreveram para a Jornada psiquiatras, médicos e estudantes de todo Pernambuco e de estados próximos que veem no evento a oportunidade de se atualizarem nos estudos sobre a saúde mental. A Associação Brasileira de Psiquiatria apoia a SPP na realização da atividade e confere selo de qualidade nos certificados que serão entregues a todos os participantes no final do encontro.

Serviço:
28ª Jornada Pernambucana de Psiquiatria
Dias 20 e 21 de agosto
Hotel Armação – Porto de Galinhas / Ipojuca

1 2